As vulnerabilidades do trânsito nosso de cada dia

ICTS - Data da publicação: 10/03/2020

A violência em grandes centros urbanos e as vulnerabilidades de segurança em situações de deslocamento por meio de automóveis.

A preocupação com a violência é uma constante em grandes centros urbanos. O modelo de vida e a dinâmica de mobilidade, que conta com circulação de grande número de veículos particulares, favorecem a ocorrência de delitos em situação de deslocamento. Quem mora, trabalha ou, até mesmo, frequenta ocasionalmente estas grandes cidades, conhece bem as dificuldades apresentadas pelo trânsito e o potencial de vivenciar cenas de violência nestes momentos.

Quando somos expostos a um cenário como este, a busca por segurança inclui adotar o uso individual de soluções e ferramentas que atendam às necessidades de proteção. Para atender a esta demanda, o mercado desenvolve e apresenta alternativas e opções cujo objetivo é resolver – ou pelo menos – minimizar vulnerabilidades em situações mais críticas e percebidas como de maior risco pelo cidadão. A demanda por soluções em segurança cresce em razão da necessidade percebida pela população e o mercado cresce e inova em razão do aumento da demanda.

A alta exposição às situações percebidas como de risco somada ao aumento da preocupação com a violência e à necessidade de aumentar a segurança, impactam em adoção de medidas de cunho pessoal.

O aumento da preocupação com a violência que aumenta, também, a necessidade de proteção, é declarado e percebido. Pesquisa realizada em 153 cidades pelo Instituto Data Folha aponta que a violência é a principal preocupação da população brasileira.

A opção crescente por uso de automóvel particular como meio de locomoção aumenta a exposição às situações de risco de mobilidade. Dados do Denatran indicam crescimento na utilização de automóveis particulares. No Brasil, a proporção é de 1 automóvel a cada 4,4 habitantes. A lentidão em deslocamentos, até mesmo os de curta distância, engarrafamentos e outros desconfortos que conhecemos como “trânsito” abrem janelas de oportunidades para a ação de criminosos, já que aumentam a vulnerabilidade de motoristas e ocupantes de veículos.

No trânsito, a velocidade reduzida e as paradas constantes facilitam a abordam de criminosos. O engarrafamento impede a movimentação ágil do veículo e diminui a possibilidade de fuga. Nesse contexto, a probabilidade de ocorrerem incidentes de violência é exponencialmente aumentada e crimes como o furto de objetos, de automóveis ou sequestros-relâmpago tornam-se comuns. Dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo demonstram que 62% dos sequestros-relâmpago da capital paulista ocorrem no trânsito.

A blindagem de automóveis como uma alternativa

Estar e sentir-se o mais seguro possível em seu meio de transporte particular passa a ser uma necessidade e a blindagem do automóvel se apresenta em destaque como opção de segurança. Um veículo blindado, quando usado corretamente, é efetivo para minimizar riscos em segurança pessoal. Embora, do ponto de vista econômico, seja pouco acessível para a maioria da população, promove a sensação de segurança que tranquiliza quem dirige e quem ocupa um automóvel blindado.

Criada para uso militar, a blindagem veicular ganhou espaço no meio civil por oferecer proteção contra agressões externas, principalmente as que envolvem uso de armas de fogo. Sua ascensão ocorreu em regiões marcadas por conflitos, como o Oriente Médio e, mais recentemente, em países com altos níveis de violência urbana, como Colômbia, México e Brasil.

A adesão a este tipo de equipamento aqueceu o mercado, ocasionou o aumento do número de empresas de blindagem presentes no Brasil e, consequentemente, da produção de veículos de passeio blindados. Contamos com aproximadamente 50 empresas de blindagem no país.

Cada país ou região estabelece uma Norma ou Padrão próprio de blindagem veicular para uso civil. No Brasil, os níveis II e III-A, conhecidos como nível de proteção anti assalto são os permitidos. Com mais de 14 mil carros blindados circulando pelo país, já somos o primeiro colocado na adoção deste nível de blindagem. Fornecemos mais de 400 veículos por mês, superamos México (170 veículos/mês) e Colômbia (150 veículos/mês) juntos.

A legislação para adquirir veículos blindados ficou mais rígida tanto para a pessoa física quanto para a pessoa jurídica. Em 1999 o Exército Brasileiro atualizou o Regulamento 105 (R-105) incluindo esse tipo de produto na lista de controlados e passando a exigir um Certificado de Registro (CR) das empresas do setor (fabricantes de vidros, mantas e aço balístico). No ano seguinte, a fiscalização das empresas passou a ser de responsabilidade das Secretarias Estaduais de Segurança Pública, sendo o serviço de blindagem em carros de passeio até o nível III regulamentado em 2001.

Mesmo que não existam dados estatísticos disponíveis que comprovem a sua efetividade na diminuição de casos de violência, a blindagem atua como proteção contra a violência urbana e continua a ser indicada para uso em situações de deslocamento usando automóvel, em especial para pessoas expostas à riscos de segurança.

Importante ressaltar que o uso isolado de um automóvel blindado não propiciará toda a segurança esperada. Apesar de suas características e efetividade de proteção, que eliminam o elemento surpresa em uma possível abordagem e propiciam ao motorista possibilidade de uma reação mais rápida e eficiente, a utilização de um veículo blindado será muito mais efetiva se acrescentada de comportamentos preventivos e conhecimento dos limites do tipo de blindagem que a este foi aplicado.

A adoção do comportamento preventivo em conjunto com a blindagem

Independentemente da segurança propiciada pela blindagem, situações de perigo podem ocorrer. Momentos de embarque e desembarque aumentam a vulnerabilidade dos ocupantes de um veículo e, para serem tratadas adequadamente, é necessário treinamento e orientação que as tornem mais seguras. Além da atenção usual, conhecimento de alternativas seguras e confiáveis são melhores conhecidas e utilizadas a partir de treinamentos em comportamento preventivo.

O controle emocional é igualmente fator crítico para atuar em situações de risco. Reações como entrar em estado de pânico ocorrem com certa frequência e não contribuem positivamente para a resolução da situação. Embora reações emocionais não sejam voluntárias, podem ser melhor controladas com a tranquilidade promovida por preparo e informação.

A tranquilidade em momentos de perigo é aumentada quando sabemos do potencial de proteção e do nível de segurança que temos disponíveis. Portanto, conhecer as limitações do tipo de blindagem aplicado a seu veículo é também de extrema importância. Por exemplo, o tipo de blindagem autorizada pelo exército brasileiro para cidadãos civis, provavelmente não será efetivo na proteção ao disparo de tiros de um fuzil, em especial se o cenário não permitir fuga. Ao perceber o risco de ser alvo deste tipo de disparo, mesmo estando em automóvel blindado, enfrentar e se deixar alvejar não será uma opção segura. A capacidade de analisar rapidamente o cenário para verificar se há rotas de fuga ou desvio disponíveis pode ser treinada.

Alguns cuidados são indicados para escolher a empresa que irá blindar seu automóvel. É preciso informar-se sobre as características e nível de conhecimento técnico na empresa e de seus profissionais, verificar idoneidade e confiabilidade, garantir recebimento de certificações oficiais emitidas pelo exército.

A efetividade no aumento do nível de segurança oferecido pela blindagem de um automóvel será aumentada quando acrescentada do conhecimento sobre suas potencialidades, limitações e de comportamentos preventivos.

Em uma sociedade na qual a segurança pública conseguisse garantir tranquilidade, ao atender adequadamente a todas as demandas, a população não precisaria investir em mecanismos de proteção. Nesse contexto ideal, a blindagem seria quase desnecessária e os critérios de sua adoção não passariam pela capacidade de investimento do cidadão.

Para conviver com os atuais níveis de violência, recomendamos buscar diminuir riscos ao adotar ferramentas, soluções e comportamentos preventivos que colaborem para o aumento do seu círculo pessoal de segurança. Conhecer os riscos aos quais estamos expostos colabora na escolha das melhores alternativas de segurança. Atualize-se constantemente sobre segurança e soluções para diminuir riscos. Procure saber mais sobre a efetividade da solução oferecida para cada situação e conheça, também, a opinião de especialistas em segurança – assim como os consultores da ICTS Security. Entre em contato com a nossa consultoria em segurança para saber como podemos ajudar você a mitigar as vulnerabilidades sofridas no trânsito. Embora não seja possível garantir a eliminação da violência urbana, é possível aumentar a sua segurança.

Odylo Neto
Gerente Especialista em Segurança da ICTS Security, Odylo é Oficial Paraquedista do Exército Brasileiro. Fez parte da 1ª turma de brasileiros que realizaram o curso de Antissequestro e Antiterrorismo em Tel. Aviv – Israel. Atuando na área de segurança pessoal privada, segurança patrimonial e segurança eletrônica há mais de 20 anos, é especialista na elaboração de Análise de Riscos e mapeamento da violência para treinamento constante do time de guarda costas para grandes empresários e suas empresas. Especialista na elaboração de planos de segurança e plano de contingência para grandes
eventos, grandes empresas e residências dos executivos.

Publicações

Relacionadas

Deseja ficar por dentro de nossos conteúdos?

Cadastrar

Única consultoria Pró-Ética por 4 vezes consecutivas.

Visite o site da CGU - Controladoria Geral da União.